Soluções para processamento de cannabis

A Paralab oferece uma gama completa de instrumentação para indústria de cannabis compreendendo soluções para Produçãopós-colheita, Extração purificação e também incluindo instrumentação analítica para processo e controle de qualidade.

Temos uma gama de soluções do laboratório à escala industrial, com vários níveis de automação.


Você pode vir até nós com suas dúvidas!

CanabinoidesOldFullOp3PT

Soluções para processamento de canabinóides

A Paralab oferece uma gama completa de instrumentação para indústria de cannabis compreendendo soluções para Produçãopós-colheita, Extração purificação e também incluindo instrumentação analítica para processo e controle de qualidade.

Temos uma gama de soluções do laboratório à escala industrial, com vários níveis de automação.


Processo

Produção

Controle de carga biológica 

As contaminações microbiológicas e de mofo devem ser mantidas sob controle. A manutenção de Boas Práticas Agrícolas e de Coleta (GACP) é um elemento chave para esse objetivo. No entanto, à medida que as unidades de produção envelhecem, a contaminação da carga biológica é uma espécie de “doença crónica” com a qual todos os produtores têm de conviver. Existem tecnologias que permitem manter este problema sob controlo, minimizando as perdas de colheitas e se implementadas desde o início atrasarão a chegada de tais problemas. 

Pós-colheita

Resistindo

Bucking é o processo pelo qual os botões são separados dos caules. Pode ser realizada na planta úmida imediatamente após a colheita ou na planta seca. Neste processo muitas folhas em leque também são removidas. 

Aparar

Este é o processo em que as folhas de açúcar são removidas dos botões. Já a brotação pode ser feita na flor molhada ou seca. 

Ordenação

Se os botões forem secos após o corte úmido, é aconselhável separar por tamanho imediatamente após o corte, para que cada bandeja de secagem tenha apenas botões de tamanho semelhante. Isto tem grande impacto na eficiência e no controle do processo de secagem. Além disso, ao embalar os botões, os clientes esperam encontrar botões de tamanho consistente por pacote. 

Secagem

Dependendo do rendimento necessário e da qualidade desejada do produto, o processo de secagem pode levar de menos de uma hora a mais de duas semanas. Também pode ser realizado 100% naturalmente sem o uso de qualquer tecnologia, mas requer mais espaço e o risco de mofo e contaminação microbiológica aumenta com o tempo.

Irradiação

Se o bolor e as contaminações microbiológicas das gemas estiverem acima dos limites admissíveis, o nível de carga biológica deve ser reduzido. A radiação ionizante é a tecnologia mais eficiente. Para operação interna, a irradiação de raios X é a solução típica. 

Extração

Fresagem

Para ter processos de extração eficientes e bem controlados, é essencial que, lote após lote, a planta moída seja processada de forma reprodutível até um nível onde o tamanho da partícula não limite a transferência de massa.

Extração

As técnicas de extração são utilizadas para capturar os canabinóides, terpenos e outros compostos de interesse como os flavonóides. Dentre as diversas técnicas disponíveis, a Paralab oferece soluções para extração supercrítica de CO2 (SFE), extração de etanol e extração de água fria. 

Winterização

Winterização é o nome comum para o processo de precipitação fria. É usado para remover ceras, lipídios e clorofilas de extratos.

Filtração

A filtração é uma técnica comum nos processos de extração de canabinóides sempre que é necessário remover matéria sólida dos extratos.

Vaporização

Os extratos provenientes da extração com etanol são compostos essencialmente por solventes. As substâncias de interesse, canabinóides, terpenos e flavonóides, estão em baixa concentração. É necessário retirar o solvente e se possível recuperá-lo para uso posterior. Da mesma forma, a tintura etanólica resultante dos processos de Winterização também precisa ter separado o etanol do óleo canabinoide. 

Descarboxilação

Os canabinóides presentes na planta estão principalmente na forma ácida. A maioria dos efeitos terapêuticos dos canabinóides são observados apenas nas formas não ácidas. A conversão dos canabinóides da forma ácida para a forma não ácida é chamada de descarboxilação. 

Purificação

Destilação 

Para produzir Destilado, os óleos canabinóides extraídos devem ser destilados. No campo da cannabis, o tipo de destilação mais comum é a destilação de filme limpo (WFD). Dependendo da matriz do material inicial e da pureza final desejada, pode ser necessário mais do que a etapa de destilação. 

Cromatografia

Para a produção de isolados de alta pureza (>99.x%), a cromatografia é um processo obrigatório, seja na transformação direta do destilado em isolados na forma líquida como D9-THC ou THCV, ou na purificação pré-cristalização de destilados para produzir isolados à base de pó como CBD, THCA ou CBG. 

Cristalização 

A cristalização é o processo chave na produção de isolados de base em pó como o CBD; THCA, CBG,… 

Embalagem

Embalagem

O empacotamento pode ser realizado de forma manual, semiautomática ou totalmente automática. Dependendo do produto a ser embalado, existem muitas soluções. Os botões podem ser embalados em sacos ou frascos. Os óleos ou formulações de base líquida podem ser embalados em frascos, frascos, seringas,… Os produtos de base sólida podem ser embalados em sacos ou frascos. O produto pode ser mantido sob gás inerte ou atmosfera de vácuo. 

Controle de Processo e Qualidade

Controle de Processo e Qualidade

Em todo o fluxo de trabalho de produção há uma série de técnicas analíticas que devem ser utilizadas para garantir uma produção eficiente e um produto final de alta qualidade. Os parâmetros que devem ser monitorizados incluem o teor total de água (LOD-perda na secagem) e a atividade de água na planta seca, a potência dos canabinoides e o perfil dos canabinoides, o perfil dos terpenos, a concentração de pesticidas, a concentração de micotoxinas, a concentração de metais pesados e a contaminação microbiológica.

Processo

Produção

Controle de carga biológica 

As contaminações microbiológicas e de mofo devem ser mantidas sob controle. A manutenção de Boas Práticas Agrícolas e de Coleta (GACP) é um elemento chave para esse objetivo. No entanto, à medida que as unidades de produção envelhecem, a contaminação da carga biológica é uma espécie de “doença crónica” com a qual todos os produtores têm de conviver. Existem tecnologias que permitem manter este problema sob controlo, minimizando as perdas de colheitas e se implementadas desde o início atrasarão a chegada de tais problemas. 

Pós-colheita

Resistindo

Bucking é o processo pelo qual os botões são separados dos caules. Pode ser realizada na planta úmida imediatamente após a colheita ou na planta seca. Neste processo muitas folhas em leque também são removidas. 

Aparar

Este é o processo em que as folhas de açúcar são removidas dos botões. Já a brotação pode ser feita na flor molhada ou seca. 

Ordenação

Se os botões forem secos após o corte úmido, é aconselhável separar por tamanho imediatamente após o corte, para que cada bandeja de secagem tenha apenas botões de tamanho semelhante. Isto tem grande impacto na eficiência e no controle do processo de secagem. Além disso, ao embalar os botões, os clientes esperam encontrar botões de tamanho consistente por pacote. 

Secagem

Dependendo do rendimento necessário e da qualidade desejada do produto, o processo de secagem pode levar de menos de uma hora a mais de duas semanas. Também pode ser realizado 100% naturalmente sem o uso de qualquer tecnologia, mas requer mais espaço e o risco de mofo e contaminação microbiológica aumenta com o tempo.

Irradiação

Se o bolor e as contaminações microbiológicas das gemas estiverem acima dos limites admissíveis, o nível de carga biológica deve ser reduzido. A radiação ionizante é a tecnologia mais eficiente. Para operação interna, a irradiação de raios X é a solução típica. 

Extração

Fresagem

Para ter processos de extração eficientes e bem controlados, é essencial que, lote após lote, a planta moída seja processada de forma reprodutível até um nível onde o tamanho da partícula não limite a transferência de massa.

Extração

As técnicas de extração são utilizadas para capturar os canabinóides, terpenos e outros compostos de interesse como os flavonóides. Dentre as diversas técnicas disponíveis, a Paralab oferece soluções para extração supercrítica de CO2 (SFE), extração de etanol e extração de água fria. 

Winterização

Winterização é o nome comum para o processo de precipitação fria. É usado para remover ceras, lipídios e clorofilas de extratos.

Filtração

A filtração é uma técnica comum nos processos de extração de canabinóides sempre que é necessário remover matéria sólida dos extratos.

Vaporização

Os extratos provenientes da extração com etanol são compostos essencialmente por solventes. As substâncias de interesse, canabinóides, terpenos e flavonóides, estão em baixa concentração. É necessário retirar o solvente e se possível recuperá-lo para uso posterior. Da mesma forma, a tintura etanólica resultante dos processos de Winterização também precisa ter separado o etanol do óleo canabinoide. 

Descarboxilação

Os canabinóides presentes na planta estão principalmente na forma ácida. A maioria dos efeitos terapêuticos dos canabinóides são observados apenas nas formas não ácidas. A conversão dos canabinóides da forma ácida para a forma não ácida é chamada de descarboxilação. 

Purificação

Destilação 

Para produzir Destilado, os óleos canabinóides extraídos devem ser destilados. No campo da cannabis, o tipo de destilação mais comum é a destilação de filme limpo (WFD). Dependendo da matriz do material inicial e da pureza final desejada, pode ser necessário mais do que a etapa de destilação. 

Cromatografia

Para a produção de isolados de alta pureza (>99.x%), a cromatografia é um processo obrigatório, seja na transformação direta do destilado em isolados na forma líquida como D9-THC ou THCV, ou na purificação pré-cristalização de destilados para produzir isolados à base de pó como CBD, THCA ou CBG. 

Cristalização 

A cristalização é o processo chave na produção de isolados de base em pó como o CBD; THCA, CBG,… 

Embalagem

Embalagem

O empacotamento pode ser realizado de forma manual, semiautomática ou totalmente automática. Dependendo do produto a ser embalado, existem muitas soluções. Os botões podem ser embalados em sacos ou frascos. Os óleos ou formulações de base líquida podem ser embalados em frascos, frascos, seringas,… Os produtos de base sólida podem ser embalados em sacos ou frascos. O produto pode ser mantido sob gás inerte ou atmosfera de vácuo. 

Controle de Processo e Qualidade

Controle de Processo e Qualidade

Em todo o fluxo de trabalho de produção há uma série de técnicas analíticas que devem ser utilizadas para garantir uma produção eficiente e um produto final de alta qualidade. Os parâmetros que devem ser monitorizados incluem o teor total de água (LOD-perda na secagem) e a atividade de água na planta seca, a potência dos canabinoides e o perfil dos canabinoides, o perfil dos terpenos, a concentração de pesticidas, a concentração de micotoxinas, a concentração de metais pesados e a contaminação microbiológica.

Obtenha já a sua brochura e saiba tudo sobre o processamento de cannabis e seus equipamentos

CanabinoidesOldFullOp3PTEbook

Produtos

Controle de carga biológica

Produção contínua de baixa concentração de Ozônio (O3), Peróxido de Hidrogênio (H2O2), ânions como Hidroxilas (OH-) e cátions. As concentrações estão abaixo dos limites definidos pela EU-OSHA (Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho), pelo que os operadores podem trabalhar com segurança em salas protegidas por esta tecnologia. Reduz agentes patogênicos entre 98% e 99% nas áreas protegidas.

Bucker

Este equipamento remove os caules e galhos

Aparador

Dependendo do modelo pode remover folhas grandes e pequenas produzindo botões florais perfeitamente cuidados. Funciona com flores molhadas e secas.

Ordenação

Os classificadores permitem separar por tamanho os botões secos ou molhados. O tamanho consistente é cada vez mais exigido dos clientes finais. Também desempenha um papel importante no controle eficiente da secagem das gemas.

Irradiadores de raios X

A radiação ionizante é a tecnologia mais eficiente para a redução da carga biológica. Para operação interna, a irradiação de raios X é a solução típica.

Fresagem

Para ter processos de extração eficientes e bem controlados, é essencial que, lote após lote, a planta moída seja processada de forma reprodutível até um nível onde o tamanho da partícula não limite a transferência de massa.

Extração de Fluido Supercrítico (SFE)

A extração de fluido supercrítico baseada em CO2 supercrítico é a técnica de referência para aplicações medicinais de cannabis. Em comparação com a extração de etanol, para a mesma capacidade de produção requer maior investimento de capital. No entanto, os custos operacionais são menores. Em condições normais de operação, o extrato contém ceras e lipídios que devem ser removidos posteriormente por preparação para o inverno e filtração. No entanto, outros componentes presentes nos extratos de etanol podem ser evitados, se necessário. Existem unidades comerciais disponíveis para processar desde menos de um kg/dia de planta seca até várias toneladas/dia.

Extração de etanol

É uma das técnicas de extração mais utilizadas. É facilmente escalonável. Está presente em pequenos laboratórios de extração que processam alguns kg/h até grandes unidades de extração que processam várias toneladas/dia. Se usado em temperaturas muito baixas, normalmente -40 ºC, não extrai compostos indesejados como ceras, lipídios e clorofilas. Porém, devido à sua polaridade e à sempre presente água residual, extrai compostos solúveis em água como metabólitos vegetais e açúcares que outras técnicas não extraem.

No passado, extratores de coluna ou recipientes agitados eram as topologias comuns para extração de etanol. Mais recentemente, as centrífugas de extração a baixa temperatura são a primeira escolha devido à sua versatilidade e facilidade de uso. Dependendo do modelo, eles podem permitir processar apenas alguns kg/hora ou centenas de kg/hora. Têm a vantagem de remover com altíssima eficácia a solução de extrato alcoólico do resíduo sólido de biomassa, reduzindo as perdas de etanol e compostos de interesse.

O investimento de capital inicial é inferior ao da extracção de SFE, mas os custos de funcionamento superam rapidamente essas poupanças.

Extração de água fria

A extração com água fria pode ser usada para produzir um rico concentrado de canabinóides e terpenos chamado Bubble Ash. Essa técnica basicamente remove suavemente os tricomas da flor e os concentra. Pode ser posteriormente convertido em óleo de espectro total de alta pureza ou infusões de óleo. É facilmente armazenado e conservado em congelador abaixo de -15ºC. 

Winterização

Winterização é o nome comum para o processo de precipitação fria. Os extratos obtidos por extrações em etanol realizadas em temperaturas quentes contêm ceras, lipídios e clorofilas que são compostos indesejados em óleos de espectro total de alta qualidade. Para removê-los, os extratos devem ser resfriados a temperaturas abaixo de -20°C, normalmente -40°C ou menos, durante várias horas ou dias. A estas baixas temperaturas, esses compostos precipitarão. Os extratos obtidos por Supercritical CO2 também contêm concentrações muito elevadas de ceras e lipídios. Para remover esses compostos, os extratos devem ser diluídos em etanol e preparados para o inverno.

Filtração

A filtragem é uma técnica comum nos processos de extração de canabinóides. Filtros de bolsa ou lenticulares podem ser usados após a preparação para o inverno para remover ceras, lipídios e clorofilas precipitados. Também pode ser usado para remover partículas finas residuais presentes no petróleo bruto proveniente do processo inicial de moagem.

Vaporização

Os extratos provenientes da extração com Etanol ou Hexano são essencialmente compostos por solventes. As substâncias de interesse, canabinóides, terpenos e flavonóides, estão em baixa concentração. É necessário retirar o solvente e se possível, recuperá-lo também para uso posterior. Para operação em pequena escala, os evaporadores rotativos são a escolha. Para rendimentos maiores, os evaporadores de filme descendente são a solução típica. Ao final deste processo são obtidas duas correntes: o petróleo bruto e o solvente recuperado. A vaporização também é usada para recuperar os extratos de etanol preparados para o inverno que saem do pós-processamento de extratos de CO2 supercrítico.

Durante o processo de cristalização para produção dos isolados, o pentano é utilizado como solvente e ao final é recuperado também por vaporização.


Descarboxilação

Os canabinóides presentes na planta estão principalmente na forma ácida. A maioria dos efeitos terapêuticos dos canabinóides são observados apenas nas formas não ácidas. A conversão dos canabinóides da forma ácida para a forma não ácida é chamada de descarboxilação. Os canabinóides descarboxilam parcialmente enquanto a planta seca naturalmente. O processo pode ser acelerado expondo a planta ou o petróleo bruto a temperaturas entre 115ºC e 121ºC durante uma a duas horas ou durante a noite em torno de 70ºC. É aconselhável uma etapa de descarboxilação na planta moída antes da extração supercrítica, uma vez que os canabinóides na forma ácida têm diferentes coeficientes de solubilidade em CO2 supercrítico e o processo de extração é mais rápido na biomassa descarboxilada.

Destilação

A destilação de caminho curto é uma forma avançada de destilação molecular, comumente usada para purificação de petróleo bruto de canabinóides. Dependendo da pureza do material de partida, ele pode purificar até 95% após algumas destilações.

Cromatografia

Permite produzir isolados de alta pureza (>99.x%). É a principal técnica de purificação para obter isolados na forma líquida como Δ9-THC ou THCV. Também torna mais eficiente a produção de isolados em pó como CBD, THCA e CBG, fazendo uma pré-purificação dos destilados antes da etapa final de cristalização. Outra aplicação é na remediação de THC em petróleo de amplo espectro, bem como na remediação de pesticidas e toxinas. Existem modelos para processar de 1,5 L/dia até mais de 40 L/dia.

Cristalização

A cristalização é o processo chave na produção de isolados de base em pó como CBD, THCA, CBG e outros.

Esses isolados são obtidos após uma etapa de cristalização de destilados de alta pureza ou extratos cromatográficos. É realizado normalmente usando solvente Pentano. Para obter cristais de alta pureza podem ser necessários mais do que ciclos de cristalização e lavagem. 

Embalagem

As máquinas de embalagem estão presentes em diferentes etapas do processo. Os produtores de cannabis precisam embalar as flores secas sob vácuo ou atmosfera de gás inerte. A biomassa residual dos processos de extração também pode ser devidamente embalada para reduzir espaço antes de ser enviada. Os produtos finais precisam ser embalados em recipientes adequados – sacos, frascos, frascos, seringas, ...

Escala de Umidade

Para determinar o teor de água da planta

Medidor de atividade aquática

Para medir a atividade de água da planta, ou seja, a concentração de água que pode reagir

ICP-MS

A espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado é a técnica de referência para a determinação de metais pesados como mercúrio (Hg), chumbo (Pb), arsênio (As) e cádmio (Cd). Esses contaminantes podem vir do solo ou de fertilizantes.

HP-GC-FID

A Cromatografia Gasosa com Detecção de Ionização de Chama e Injeção Head-Space é usada para medir o Perfil de Terpenos e Solventes Residuais. Numa instalação de extracção pode ser utilizado na recepção para determinar o rendimento esperado de terpenos e posteriormente em diferentes fases para medir a eficiência de cada fase. O Perfil de Terpenos também é um parâmetro importante nos produtos finais.

HPLC-MS

HPLC (cromatografia líquida de alta eficiência) com detecção por espectrometria de massa é a técnica de referência para medir a maioria dos pesticidas e micotoxinas. As micotoxinas estão relacionadas à contaminação por fungos. Também pode ser usado para perfis completos de canabinóides.

GC-MS

A Cromatografia Gasosa com detecção por Espectrometria de Massa pode ser usada como uma técnica mais avançada para o Perfil de Terpenos e Solventes Residuais, bem como para alguns Pesticidas que não podem ser analisados por HPLC-MS.

Fornos a vácuo

Usado para secar e descarboxilar os botões

Resfriadores

Pode ser utilizado na extração de etanol, precipitação a frio, vaporização e destilação sempre que for necessária operação em baixa temperatura. Para aplicações laboratoriais e industriais

Congelador de baixa temperatura

Pode ser utilizado na extração de etanol, precipitação a frio, vaporização e destilação sempre que for necessária operação em baixa temperatura. Para aplicações laboratoriais e industriais

Europa •Israel • Norte da África • América latina

Você pode vir até nós com suas dúvidas!

CanabinoidesOldFullOp3PT

Contatos

info@paralab-green.com

Porto

Rua Dr.
Manuel Costa, 946 B
4420-437 Valbom
Gondomar

Lisboa

Largo Pirâmide nº3/S
Piso 0, Sala C1
2795-156 Linda-a-Velha

Santander

C/ Perinos 35, locais 2,
39007 Santander

Barcelona

C/Ramón Turró 100-104 5º9A,
08005 Barcelona

© Paralab. Todos os direitos reservados. Para mais informações sobre a empresa e outros assuntos jurídicos, acesse nossa Página Jurídica. Usamos cookies. Em nosso site você encontra nossa Política de Privacidade.

Página criada com OptimizePress